Compartilhar...

Ler mais...

 Imprimir




Mensagem Especial



As Autoridades Constituídas

    

 

Meus amados,

Após um período de definição de governantes deste mundo, o que realmente importa? Precisamos meditar nisto sim, pois é necessário que guardemos a nós mesmos das contaminações deste mundo, além de estarmos prontos a ajudar os que estejam em dificuldades. A Palavra diz que os filhos de Deus não vivem em pecado e que o mundo inteiro está posicionado no maligno:

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno.” (1 João 5:18-19)

Ademais, depois de tudo que ocorreu no período decisivo aos governantes, vemos que muito acirramento ainda está aí pelo ar. Não falo dos que são de fora, mas de alguns que dizem conhecerem a Verdade, a mesma que também está escrita em nossas Bíblias, a relembrar:

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14:6)

Diferenças ideológicas podem surgir, mas não deveriam permanecer entre os que são de Cristo. A Palavra diz:

“completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.” (Filipenses 2:2-3)

“Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós.” (1 Coríntios 1:10-11)

Mas, o que se percebe é que até facções estão ocorrendo e discussões (contendas) por causa de visões diferentes de mundo. Lembremos que seguir em facção não é uma opção aos crentes, mas é um pecado que leva à separação eterna de Deus!

“idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gálatas 5:20-21)

Mesmo o afastamento, digo isolacionismo, por causa dessas divergências de pensamento, não é nada sábio. As Sagradas Escritura dizem:

“O solitário busca o seu próprio interesse e insurge-se contra a verdadeira sabedoria.” (Provérbios 18:1)

Será que deixaremos as ideologias divergentes tomarem conta, a ponto de esqueceremos que não foi para isso que Deus nos chamou? O que está ocorrendo? Nós, que uma vez fomos iluminados pelo Espírito de Deus, terminaremos na carne?

“Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne?” (Gálatas 3:3)

De duas, uma... Ou tudo se resume a este mundo ou estamos mesmo preocupados com a eternidade. A vida, para cada um de nós, precisa consistir de algo muito maior do que as coisas deste mundo. A não ser que também temos repetido a oração, mas nosso coração está bem longe de viver o verdadeiro “venha o Teu Reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu;”.

Mas, qual o porquê destas coisas estarem acontecendo? Eu parei para meditar sobre isso... Supliquei a Deus e, imediatamente, o Espírito Santo me fez lembrar do hino que diz: “Porque DELE e por ELE, para ELE são todas as coisas. Porque DELE e por ELE, para ELE são todas as coisas. A ELE a glória, a ELE a glória, a ELE a glória para sempre. Amém.”

Fiquei cantando por um tempo e logo entendi. Glórias a Deus! Se alguém está se deixando levar por essas coisas é porque perdeu o foco. Não podemos tirar os nossos olhos do Filho de Deus. Simples assim! Se tirarmos os nossos olhos DELE, em meio a qualquer ventania e ondas que se levantarem, então iremos começar a afundar.

E Deus nos chamou a amar, perdoar e nos reconciliar. Nossos olhos, espiritualmente falando, devem estar sempre nestas coisas, se é que já não estamos afundando e dizendo que: “não importa tanto”, “afinal não é bem assim”, “no meu caso é diferente” etc. As Sagradas Escrituras dizem:

“Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.” (1 João 4:8)

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem,” (Mateus 5:44 – versão Revista e Corrigida)

“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:14-15)

“Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo.” (Mateus 5:25-26)

E por que há tanta inquietação com relação a uma ou outra autoridade constituída? Entendo que só pode ser a falta de conhecimento da visão do Reino sobre a constituição das autoridades, além da falta de entendimento sobre o papel das autoridades e das responsabilidades que elas possuem diante de Deus. Alguém poderia falar: “E a Bíblia poderia resolver a minha contrariedade, em que terei por governantes autoridades as quais eu não escolhi?!”

Certamente que sim, se enxergarmos as autoridades deste mundo como a Palavra diz que são e se fizermos o que Deus nos manda fazer por todas as autoridades.

Agora, meditemos (não basta só ler, é preciso meditar) no que diz serem as autoridades constituídas:

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela, visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.” (Romanos 13:1-7)

Por fim, meditemos no que devemos praticar antes de tudo e para com todas as autoridades, além de entender a sua consequência benéfica para as nossas vidas:

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. ” (1 Timóteo 2:1-4)

No amor, meus amados, não erraremos. Quem ama, atende. Quem ama, cuida. Quem ama, ora em favor de todos os homens!

Glória a Deus! Louvado seja o Nome do SENHOR!

Na paz de Cristo Jesus,

Missionário Ricardo.


Mais Mensagens...



Voltar






WhatsApp


facebook


Google+



 Imprimir




|

EVANGELON

|

Bíblia Sagrada

|

A Pregação

|

Louvor

|

Testemunhos

|

Igrejas

|

Caridade

|